Une femme dont on parle (Kenji Mizoguchi, 1954)

Inacreditável. Em 1954 Mizoguchi realizou três obras-primas, sendo esta a menos conhecida. Mas sobram os planos e as sequências inolvidáveis, daqueles que fazem do cinema uma Arte. Uma mulher de meia-idade, dona de um bordel, recebe em casa a filha instruída que recupera de um desgosto amoroso e da consequente tentativa de suicídio. A filha apaixona-se pelo médico da casa, que é o amante da mãe. Um melodrama familiar ao mesmo tempo que um estudo de grupo feminino (as geishas): não me lembro de ter visto melhor em ambos os registos. Genial. Paris FQL 5/5

Sem comentários:

Enviar um comentário