Expo: Henri Fantin-Latour (Musée du Luxembourg, 2017)

A cultura francesa de Oitocentos é inesgotável. Depois de Albert Besnard, na semana passada, descubro agora Henri Fantin-Latour. Ficou famoso pelos retratos de grupo que pintou com grandes nomes da arte da sua época. É dele, por exemplo, o único retrato de Verlaine e Rimbaud juntos; um retrato de músicos, que inclui Chabrier e D'Indy; um famosíssimo retrato com Manet e com ele mesmo, Fantin-Latour. Mas este superou-se mesmo nas naturezas-mortas de flores e frutas. Tal como nos retratos de grupo, um tanto frios e estáticos, as suas naturezas-mortas revelam uma dívida para com a pintura holandesa de Seiscentos. Fantin-Latour não é um grande pintor, um mestre, mas foi bom conhecer as suas obras. Paris 3/5

Sem comentários:

Enviar um comentário