Nocturnal Animals (Tom Ford, 2016)

Foi uma das maiores deceções que tive recentemente no cinema. Tinha gostado muito da obra de estreia de Ford, A Single Man, mas esta segunda obra deixa a desejar. Nele contam-se duas histórias, apresentadas em paralelo. Uma jovem comissária de arte (Amy Adams) encara o fracasso dos seus dois casamentos, afundando-se na depressão. Faz esse balanço da vida enquanto lê o romance que o primeiro marido lhe enviou. O romance encerra a segunda história, um drama de violência e vingança, cujo protagonista é interpretado pelo mesmo ator que interpreta o seu autor (Jake Gyllenhaal). Como não encontro relação significativa entre as duas histórias, achei o filme artificial e confuso. Paris 2/5

Sem comentários:

Enviar um comentário