Teatro: Médée (TNO, 2016)

A Medeia de Eurípides tem uma longa história de adaptações. A que vi ontem é da autoria de Jean-Dominique Hamel e pareceu-me estar bem próxima da original. A encenação de Nathalie Hamel é apenas mediana e os atores nem sempre são os melhores para os papéis, mas a história trágica de Medeia, traída, vingadora e vingada, é narrada de forma límpida e é geralmente isso que eu mais aprecio quando vejo uma peça clássica. Paris 3/5

Sem comentários:

Enviar um comentário