Luigi Comencini: Pane, amore e fantasia (1953)

Foi tal o sucesso de Pane, amore e fantasia, que involuntariamente iniciou uma famosa tetralogia que terminaria em 1958. Vittorio De Sica chega a uma aldeia para assumir o posto de autoridade policial máxima e, como os outros machos do local, perderá a razão quando conhecer a jovem Gina Lollobrigida. Commedia all'italiana aqui é isto: italianos e italianas excitados com a perda da honra em aldeias onde esta é constantemente vigiada por todos; milagres de pacotilha que excitam o povo e opõem-no à igreja; etc. Tudo isto poderia resultar num filme bem negro e crítico da pequenez católica, mas Comencini optou por carregar nas tintas e não deixar nenhum espectador sisudo. Bene ma non troppo 3/5

Sem comentários:

Enviar um comentário