Teatro: Show Boat (Londres, 2016)

Pela primeira vez vi um musical do West End. Uma nova produção do clássico dos clássicos: Show Boat. A história de um barco do Mississipi e da trupe de artistas que levam o vaudeville aos pequenos recantos dos EUA. Uma história que conhecia bem do cinema mas que originalmente nasceu para os palcos. O que vi e ouvi impressionou-me, sobretudo a interpretação dos principais cantores. Achei estranho não ver os músicos da orquestra na sala como me habituei a ver no Teatro do Chatelet. A música das comédias musicais clássicas é muitas vezes excelente e merecia um cuidado à altura como se faz com a música clássica. De qualquer forma, foi um excelente espetáculo, sem quebras de ritmo, com um cenário simples mas expressivo e interpretações perfeitas. Londres 5/5

4 comentários:

  1. Tens razão, não vi a orquestra no SHOW BOAT, mas nos outros 4 musicais que vi a orquestra era bem visível. Na verdade, já vi para cima de uma centena de musicais e a orquestra esteve sempre presente; não sei onde é que ouviste dizer que que sempre recorrem a música gravada. Pela minha experiência não é esse o caso, nem mesmo em produções pequenas.

    ResponderEliminar
  2. I just remembered something. At the end of the SHOW BOAT performance, the maestro came to stage to take his bow; so there's an orchestra somewhere in the theatre.

    ResponderEliminar
  3. Eu também me lembro do maestro ter vindo ao palco mas como não vi a orquestra fiquei na dúvida... A orquestra estava escondida afinal. Tens razão, há sempre uma orquestra ou músicos presentes nos musicais. Houve de facto experiências de musicais com música gravada que geraram polémica e mesmo greves. Confundi com a situação mais comum em que as orquestras são reduzidas, por vezes não respeitam a dimensão original para a qual foi composta a música. No Chatelet (Paris) utilizam uma grande orquestra, sinfónica, situação cada vez menos habitual no caso dos musicais. Como já vi muitos espetáculos de dança e teatro com música gravada, pensei que isso também acontecia com os musicais, mas afinal trata-se de uma situação pouco representativa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, recordo-me de ouvir falar da experiência de musicais sem orquestra, mas o público não aceitou a ideia. Tendo em conta o preço do bilhete para um musical, é natural que o público exija orquestra ao vivo.

      Eliminar